Inicio Cidade Campina Grande pode ganhar Maternidade Regional

Campina Grande pode ganhar Maternidade Regional

26
0
SHARE

O vereador Márcio Melo Rodrigues, vice-presidente da Câmara Municipal campinense, apresentou requerimento no Poder Legislativo sugerindo ao Governo do Estado a construção da Maternidade Regional em Campina Grande. O empreendimento atenderá a toda população de Campina Grande e a cerca de 180 Municípios que procuram a Maternidade do Instituto de Saúde “Elpídio de Almeida”, que não dispõe de condições financeiras e físicas para contemplar a demanda, mesmo com os esforços do Governo Municipal.

Ele defende na Câmara Municipal que a Casa solicite ao Governo do Estado, à Secretaria de Saúde a construção da Maternidade Regional, que em seu entendimento se faz necessária para atender a demanda de toda a Paraíba e Estados vizinhos que se deslocam para a Rainha da Borborema e reforçar a rede de saúde municipal.

Disse que é praticamente impossível que a Prefeitura Municipal campinense continue atendendo a tantas pessoas que se deslocam até este Município, e sobrecarreguem o Instituto de Saúde Elpídio de Almeida (Maternidade Elpídio de Almeida), sem apoio do Governo do Estado. Escassez de profissionais, superlotação de pacientes e carga horária pesada são alguns dos pontos registrados. De dois anos pra cá aumentou muito a demanda de pacientes de municípios que não a procuravam antes.

Acentua que, os municípios mandam os pacientes e Campina Grande tem que recebê-las. A superlotação é hoje o problema mais difícil de ser resolvido no Isea, tendo em vista a demanda de outros 180 municípios e do registro de 600 partos por mês. A demanda é enorme e a Prefeitura atende além da sua capacidade financeira essa população. Mesmo com os parcos recursos a Prefeitura em sua gestão atual já superou em muito o atendimento de pacientes em igual período do ano passado.

Desde 2013 são feitos investimentos em obras de infraestrutura no Isea, como a construção da Casa da Gestante, Centro de Parto Normal, UTI Obstétrica e UTI Natal. Mas a maternidade recebe pacientes de todo o estado, até mesmo de outros locais como Rio Grande do Norte e Pernambuco, e não existe dinheiro suficiente para custeio das despesas dessas pacientes. A maternidade atualmente conta atualmente com 116 leitos médicos, mas chega a atender até 150 pessoas simultaneamente.

Segundo o prefeito Romero Rodrigues mesmo com os investimentos que a Prefeitura Municipal de Campina Grande tem feito no setor da Saúde, há problemas acumulados ao longo do tempo e que está adotando e destinando recursos para resolver as grandes deficiências do Instituto, inclusive a construção de uma UTI para atender as mães. Inclusive, há casos de pacientes que são encaminhados em convenio com a Prefeitura para o Hospital Clipsi e para o Hospital da FAP, exatamente para que nenhum paciente seja prejudicado.

Fonte: Codecom

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here